Pra que serve a arte?


Historicamente sabemos que a arte cumpriu diversas funções, desde registrar acontecimentos importantes, comunicar quando a língua e a escrita ainda não eram acessíveis para a maior parte da população, doutrinar através do monopólio de informação ou até mesmo alienar em nome do entretenimento com a indústria cultural. Sabendo disso tudo a partir de livros, teorias, relatos e estudos podemos entender um pouco da sua evolução, mas parece que ainda fica uma grande pergunta no ar: qual seria o papel da arte hoje

Antes de responder essa pergunta (se é que ela tem uma resposta só) acho que teríamos que definir primeiro o que é arte, de fato. Essa é uma discussão que já rola há muito tempo e muitos teóricos de linhas diferentes têm sua própria opinião sobre o assunto. Como o meu objetivo aqui não é me aprofundar nesse questionamento, vou considerar como arte qualquer coisa que o artista diga que é.  

Mesmo que reconheça a existência da arte como parte da sociedade, muita gente ainda pensa que ela não serve pra muita coisa e acaba menosprezando o trabalho de quem a faz ou aprecia - e aqui não estou falando só de arte em museu, mas também de arte de rua, música, ilustrações, poesias, fotografia, dança, teatro, entre muitos outros tipos. Eu particularmente vejo quatro grandes funções na arte além das já mencionadas historicamente, talvez porque eu tenha sido incentivada a explorar o meio desde pequena. São elas:

1. Expressão

Quer o espectador goste ou não de uma obra ou artista, a arte serve como forma expressão tanto quanto serviriam as palavras. Pessoas que talvez não tivessem a sua voz ouvida passaram a poder se expressar de outra maneira através da arte, da mesma forma que outras pessoas passaram a identificar e aceitar sentimentos que não sabiam que tinham a partir do contato com a arte dos outros.

Eu por exemplo sou péssima para falar com as pessoas na vida real. Sou daquele tipo de introvertida que tropeça nas palavras e está sempre mais preocupada com o que estão pensando de mim do que com o que estou falando de fato. Quando se trata da minha arte, no entanto, mesmo que eu esteja indiretamente falando com outras pessoas, estou falando comigo mesma no meu próprio ritmo e isso permite que eu seja completamente honesta. Isso é tão verdade que muitas pessoas acabaram se conectando comigo e me conhecendo na vida real a partir das minhas ilustrações e vídeos. 

Por outro lado, longe de uma questão de organização pessoal ou personalidade, grupos e minorias que antes tinham sua voz calada (percebam como aqui implico ações de um terceiro sobre o sujeito) também encontraram caminhos pra dizer "ei, eu estou aqui e é assim que eu me sinto" e abrir espaço na sociedade pouco a pouco para que um dia todos sejam ouvidos e vistos da mesma forma, independente de cor, renda, nacionalidade, orientação sexual ou religião.

2. Fuga

Para introduzir esse tópico eu não poderia deixar de citar uma frase: 

"A arte existe para que a realidade não nos destrua" ( Friedrich Nietzsche)

Com o caos que anda o nosso mundo, a arte pode servir como fuga tanto para o artista quanto para quem a consome. Através dela podemos nos transportar para lugares que nunca estivemos, sentir coisas que não nos pertencem e, por alguns momentos, esquecer dos problemas muitas vezes irrelevantes que acabam consumindo nossas vidas. 

Entrar em contato com a arte ou com ambientes que estejam rodeados dela é como respirar ar puro depois de estar muito tempo sufocado. É um lugar de liberdade em que você pode ser e se sentir como quiser sem ser julgado ou ter grandes responsabilidades pra levar em conta antes de se expressar (se você chora em espaços públicos, por exemplo, corre o risco de ser ridicularizado). 

É justamente por nos levar a lugares que não fazem parte daquilo que nos é familiar e por nos permitir sentir coisas que talvez estivéssemos reprimindo que a arte consegue realizar uma terceira função: 

3. Mudança

Através das novas perspectivas que adquirimos ao tentar absorver de uma forma mais direta o discurso de uma outra pessoa (ouvir o artista/um grupo através da obra), passamos a ver o mundo, a nós mesmos e aos outros de uma nova maneira.

E se é saindo da ilha que conseguimos ver a ilha, é a partir do contato com tantas outras realidades e formas de expressão que passamos a ter as ferramentas necessárias para provocar mudanças. Como disse John Butler: 

"A arte muda as pessoas e as pessoas mudam o mundo."

A partir disso passamos a enxergar a arte muito além do entretenimento, do bom e do bonito. Ela passa a ser algo muito mais profundo e que atua de formas distintas em diferentes pessoas de maneiras que talvez a gente nem consiga compreender agora, mas que podem ser decisivas para o futuro da nossa sociedade e do nosso planeta.

4. Memória 

Mesmo que hoje em dia existam infinitas formas de registrar memórias, é através da arte que melhor conseguimos lembrar de pessoas, pensamentos e sentimentos (lembrando que a arte também envolve fotografia, poesias, etc...).  

Como disseram Alain de Botton e John Armstrong em seu livro "Arte como Terapia", 

"A arte nos ajuda a cumprir uma tarefa de importância central na vida: conservar as coisas que amamos depois que elas partiram."

Sob uma perspectiva global histórica também podemos pensar sobre o quanto sabemos dos nossos antepassados justamente por causa da arte e das expressões de cada época e o quanto estamos deixando de rastros para que os que vierem depois de nós lembrem que também estivemos aqui.

A arte é o que você faz dela  

Mesmo tendo essas 4 funções bastante claras na minha cabeça, eu não posso discordar totalmente das pessoas que dizem que a arte não serve para nada nem afirmar que essas funções serão vistas da mesma maneira por todas as pessoas. Se a arte toma diversas formas de acordo com o que fazemos dela, para alguns dizer que a arte não faz nada por elas naquele momento não é nada mais que a verdade. 

O que temos que manter em mente, no entanto, é que a arte faz sim algo para muitas e muitas pessoas e pra que isso aconteça basta parar pra ouvir o que ela tem a dizer (mesmo que sem palavras) e deixá-la transformar a gente na mais pura forma de magia. 

Com amor,
Re

1 comentário


  • Didi

    Olá Fé (Desidi esta tua alcunha por gostar da palavra fé) sou de Portugal (é possivel notares para minha escrita) e ADORO a tua forma de ser,amei o post e achei que tudo a ver comigo,passo a explicar:
    Resentemente criei um blog e ando ainda a montalo, e queria ter uma frase que mostrasse o que eu queria com aquilo,(acelarando) pronto eu criei a frase “acredita no improvável,faz o imposível e cria o veradeiro”
    Ok, eu explico, é assim se tu acreditares no impróvavel vais fazer coisas consideradas até então imposível pois raras as pessoas que se quer nisso
    pensaram e então criarás o veradeiro…Nessa parte gosto de deixar para o leitor da frase pensar pois é profundo.Então o que queria era falar com outras pessoas da minha area (desenho á 3 anos) pois sinto-me solitária, abraços de Portugal (do outro lado do mar) de uma miuda de 12 anos (espero que ao dizer isto não me desvalorizes por idade) e…
    Atejázinho! (adeus!)


Deixe um comentário