Como encontrar o seu estilo de desenho


Print Girls are Magic
Na foto: Print Holográfico Girls are Magic

Um dos maiores dilemas para artistas iniciantes ou pessoas que gostam de desenhar é a dificuldade de encontrar um estilo próprio. Enquanto todos artistas que você conhece já têm um estilo bem resolvido, você não consegue criar algo da sua cabeça ou não consegue estabelecer uma unidade entre os seus trabalhos - e isso muitas vezes te desmotiva a continuar tentando. Se você se identificou, então esse post é pra você.

Saiba que você não é os outros

A verdade é que todo artista aparentemente bem resolvido já passou por um (ou vários) estágios de confusão em relação ao seu próprio estilo. Acompanhar artistas pelo Instagram ou outras redes sociais tem o mesmo efeito máscara que acontece com influenciadores digitais, por exemplo. Vemos as obras prontas, mas não as incontáveis horas em cima de uma mesma peça, os trabalhos jogados fora, os dias sem querer encostar em um material sequer por frustração e muito menos todo o tempo que aquela pessoa passou praticando até chegar onde está. 

Por isso, o primeiro passo é exercitar se distanciar da jornada de outros artistas. Enquanto ter contato com os trabalhos dos outros pra construir bagagem de referências é ótimo, isso precisa ser feito sempre com a consciência de que cada artista está em um caminho único de desenvolvimento e que não é justo comparar o resultado deles com o seu processo. 

Você não precisa ter um estilo nem compartilhar seu trabalho

No meio da pressão e constrangimento que a gente sente quando alguém pergunta "mas o desenho é seu ou você só copia?" às vezes a gente esquece que não é só porque gostamos de arte que precisamos ter um estilo nosso ou compartilhar nosso trabalho se não quisermos. A arte pode ser usada como terapia e hobby e não tem nada de errado em desenhar coisas já existentes contanto que seja dado crédito para o artista original quando necessário.

Afinal, um cantor que só faz covers ou um bailarino que segue um coreógrafo ainda é um artista. 

Se libertar da ideia de que você precisa encontrar um estilo próprio muitas vezes acaba te soltando da necessidade de se encaixar em algum tipo de padrão e te ajuda a criar um conteúdo autêntico. 

É praticando que você se encontra

Não é brincadeira quando as pessoas falam que pra desenhar bem você precisa praticar muito e todos os dias. Não é fazendo 10 ou 20 desenhos que você vai magicamente se encontrar e dominar uma técnica. Mesmo em um ritmo bom de prática, ainda podem levar meses ou anos pra ver algum progresso - e isso não é pra te desanimar, não. Com a prática em dia existe apenas uma certeza: vai haver progresso. 

E nesse caminho de arte e progresso, o Sketchbook Passaporte Criativo vai ser o nosso melhor amigoCada vez que surgir uma ideia ou bater algum tipo de inspiração, independente da qualidade do resultado, podemos deixar registrado em um lugar que depois não só vai funcionar como material comparativo pra ver o quanto evoluímos, mas também pode acabar inspirando uma ideia completamente nova. 

Não existe uma só forma de arte

Se você já está há muito tempo praticando desenho e não vê evolução nenhuma e também não gosta do processo, já parou pra pensar que talvez esteja usando o material errado ou se expressando da forma errada para você? Apesar de não parecer, a simples troca do material de desenho pode fazer toda a diferença. De repente você é um gênio na aquarela mas não consegue desenhar em lápis. Ou sombreia em marcadores como ninguém mas não sabe fazer um círculo sequer no computador. 

Você não precisa ser bom em tudo mas também não precisa se prender em um método só.

Além disso, existem outras formas além do desenho de expressar um pensamento. Você pode escrever um poema, compor uma música, criar uma coreografia, performance, vídeo ou escultura. As possibilidades são infinitas e são todas igualmente válidas.

Você não é uma árvore

Se está lendo isso, é provável que você não seja uma árvore - a não ser que as árvores tenham vidas sociais secretas das quais desconheço (nesse caso, olá, você é incrível e obrigada por tudo!). Você não está enraizado em lugar nenhum a não ser que escolha estar. Se você está fazendo algo que não gosta, você pode mudar. 

Se você sempre pintou em acrílica, nada te impede de começar a fazer esculturas. Seu estilo não precisa ser sempre o mesmo mas, se quiser, ele também pode migrar de uma técnica pra outra. Faça séries de temas e mude completamente. Se arrisque. Descubra partes de você que nem você sabia que existiam. Acredite, isso vai fazer um bem danado e não só pro seu lado artista.

Se nas outras partes das nossas vidas nos sentimos presos, na arte somos completamente livres. 

E por último, mas não menos importante, 

Seja paciente com você mesmo

Tudo bem se um desenho não saiu exatamente como você esperava. Tudo bem se você passou a mão por cima da tinta logo depois de terminar. Tudo bem se você deu a louca no meio da madrugada e jogou todos seus desenhos fora e passou a próxima semana inteirinha comendo chocolate e assistindo Netflix de pijama. Tá tudo bem. A gente precisa desses pequenos estímulos de realidade pra manter o pé no chão e aprender a aproveitar o caminho - que, assim como o destino final, também pode ser lindo. 

Nesse vídeo eu falei mais um pouco sobre isso e dei outras dicas para quem está na busca por um estilo próprio. Enquanto podemos, seguimos criando. 

Com amor,
Re

10 comentários


  • caroll

    Cada um tem o seu estilo,eu tenho 13 anos e já nasci no meio de criar, reproduzir , e fazer arte .desenho desde 4 anos faso aula mais gosto mesmo de usar minha criatividade e o meu geito único de utilizar o que sei para inspirar outras pessoas..😍😍😍😍


  • caroll

    Cada um tem o seu estilo,eu tenho 13 anos e já nasci no meio de criar, reproduzir , e fazer arte .desenho desde 4 anos faso aula mais gosto mesmo de usar minha criatividade e o meu geito único de utilizar o que sei para inspirar outras pessoas..😍😍😍😍


  • Diogo

    Concordo com tudo que você falou neste poste e gostaria de saber como eu falo isso para uma amiga que pensa que o Stilo dela é imutável sabe, que n é mente aberta digamos assim, o falto dela fazer a mesma coisa sempre não ajuda ela a evoluir e não sei como dizer isso a ela sem “criticar a arte dela”. Me ajuda?


  • Thaís Carvalhal

    A parte que você falou do cantor e do bailarino realmente foi me ajudou, nunca tinha pensado por esse lado. Valeuu


  • Amanda Cordeiro

    Esse post pegou profundamente no meu coração, eu me prendo muito as coisas, e quando um estilo não me agrada, tendo a descartá-lo todo ele, como se para eu aproveitar aquela determinada coisa daquele determinado estilo, eu tivesse que usá-lo todo. Também sou muito apressada, e sinto que se eu não fizer um desenho bom agora, não conseguirei fazer nunca.

    Obrigada pelo post e pelos vídeos, isso definitivamente abriu a minha mente!


Deixe um comentário